sábado, julho 20, 2024
HQs e MangásOpiniões

Ato 5 | Resenha: Publicação nos envolve ao mostrar período sombrio da história teatral

A Conrad Editora relançou a HQ Ato 5 dentro do seu selo HQ Para Todos, e essa obra de André Diniz e José Aguiar é importante ao retratar as mazelas dos artistas durante o sombrio período da Ditadura Militar.

Separada em chamados dois atos, a edição mostra duas visões sobre um acontecimento em um teatro no Rio, desde a criação de um grupo teatral, a queda e incêndio do espaço deles, e a relação com o diretor Gabriel, tudo é muito bem mostrado na visão de Juan e Lorena.

O Ato 5 que dá nome ao quadrinho, refere-se ao Ato Institucional Número 5, que foi lançado em 1968 e perdurou até 1978, seu apelo na arte foi por conta da censura prévia em todas as obras indo da música ao cinema, teatro e televisão, tudo desde que fosse entendido que a obra era uma subversão dos valores políticos e morais à época.

É muito interessante ver o desenrolar da trama, mostrando a efervescente cena artística, os relacionamentos dos atores, as peças sendo planejadas e como tudo isso foi sendo deteriorado e colocado em risco, trazendo medos e colocando pessoas como procuradas, obrigando-as a fugir e se esconder.

Ato 5 ainda nos mostra mais no presente como a mente de artistas, mesmo anos após os sofrimentos, ainda veem a arte como uma luta, uma ferramenta para superar traumas e trazer sua beleza e força para os palcos. Juan e Lorena, e agora Paulo, mostram duas versões dessas mudanças.

ato 5
Crédito: Conrad Editora

A trama de André Diniz e José Aguiar é certeira, nos coloca ao lado de seus personagens, e até no futuro nos identificamos com o carinho que existe entre eles, e nisso se soma ao traço dos desenhos, que nos envolve muito bem na história contada. A ditadura militar no fim vira somente uma mancha que dá lugar ao desenvolvimento de seus personagens.

Ato 5 para mim poderia ser ainda maior, e explorar ainda mais as dores e problemas causados, mas no que é proposto entrega de forma sensacional uma trama atual, que de uma época vinda de 1964 até hoje reverbera na sociedade e todos os seus meios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *